Íntegra: Mito: o nada que é tudo – Antonio Medina Rodrigues, Demétrio Magnoli e José de Paula Ramos Jr.

Mito, filosofia e história exprimem o espírito humano e são constituintes da cultura. A deformação do mito implica mistificação. A sobrevivência do mito na modernidade demonstra a força perene do simbólico como forma de conhecimento que sobrevive às crises por sua universalidade concreta e sua capacidade de atribuir sentido pleno à vida.