Acervos



cem anos de música no brasil

este livro foi idealizado para funcionar como porta de entrada, abre-te sésamo, da música contemporânea brasileira. sem academicismos. há até momentos mais complicados nos textos (muitas vezes não dá pra descomplicar o complexo), mas em geral eles sempre remetem a exemplos em áudio – o que facilita muito a compreensão do que se está lendo. Não entendeu, entediou-se? pule o trecho. vá para o seguinte. “cem anos de música no brasil” foi pensado para você ficar mais próximo da música do nosso tempo.

| 2012, livro

radamés gnattali: flauta, piano e violão

o violão circulou por todas as classes sociais, sofreu todo tipo de preconceito e elogios, viajou do inferno ao céu (e vice-versa). é, enfim, um autêntico nômade vagando entre as culturas erudita e popular. Se há um nome que ocupa um dos mais elevados lugares nessa odisseia musical é o de gnattali. Com ele, o violão permaneceu andarilho, nutrido na boêmia. Mas também conquistou a sala de concerto e se impõe até hoje, triunfalmente, como o instrumento que melhor encarna a chamada “alma brasileira”. sem esquecer a flauta e o piano, este último sua porta de entrada, ainda menino, no encantado mundo da música.

| 2012, CD

mais que uma canção

a prática da canção é uma das manifestações mais importantes de diversas correntes musicais mundo afora. Entretanto, a modernidade ainda está por explorar todo o potencial da voz humana e sua combinação com diferentes formações instrumentais. assim, se a canção, em sua essência, estabelece um jogo entre a palavra e o som, como ela se dá em nossa época? foi a partir dessa pergunta que surgiu o projeto de encomendar a jovens compositores obras inspiradas na poesia de alguns dos principais nomes da nova geração de poetas brasileiros.

| 2014, CD

suíte contemporânea brasileira

suíte contemporânea brasileira é um álbum que aponta direções. certamente não pretende delinear um “retrato” do que seja a composição de música de concerto no brasil hoje. Em vez disso, apresenta uma série de instantâneos, quadros de uma exposição por entre os quais deslizamos nossos ouvidos. a casa recomenda deixar na chapelaria as bolsas de rótulos estéticos, as mochilas de apontamentos unívocos, as câmeras conceituais que se interpõem à experiência da escuta e fazem dela uma pálida e confortável lembrança numa pasta do computador.

| 2015, CD

diálogos improváveis

diferentes formações para dois e quatro músicos se constituíram ao longo da história, e ganharam status de “padrão”. Porém em plena modernidade, deveria o diálogo musical se restringir a essas combinações centenárias? é lançando o desafio de ressignificar esta prática que o CD “Diálogos Improváveis” apresenta formações aparentemente exóticas, mas que na verdade enfatizam uma das principais qualidades da música contemporânea, isto é, fazer da escuta um ato de apreciação ampla e irrestrita do som musical em suas mais diferentes formas.

| 2016, CD