divulgação
blog > há 100 anos a música era assim [capítulo 4]

há 100 anos a música era assim [capítulo 4]

um passeio pelas músicas populares de 1917

1917 também foi o ano da explosão das músicas populares pelo planeta. De um lado, Carlos Gardel fazia sucesso na Argentina com “Mi noche triste”, o primeiro tango-canção da história do tango. Você encontra no youtube a primeira gravação, daquele ano, mas a de 1930, com Gardel acompanhado por um trio de violões, já tem melhor qualidade técnica:

No mesmo 1917, o uruguaio Geraldo Matos Rodríguez compôs e gravou possivelmente o tango mais famoso da história: “La Cumparsita”. Assista a esta versão da Orquestra Matos Rodríguez no Teatro Solis, de Montevidéu:

Ou, se preferir, ouça e veja a cena do antológico filme “Tango”, de Carlos Saura:

Em 1917, The Original Dixieland Jazz Band, grupo formado por músicos brancos, vendia 270.000 cópias do primeiro disco de jazz, gravado em 7 de março:

“Tico-Tico no Fubá”, de Zequinha de Abreu Estreou num baile na cidade paulista de Santa Rita do Passa Quatro, com o título Tico-Tico no Farelo. Apenas em 1931 Zequinha gravou-a com o título que ganharia fama mundial quando gravada por Carmen Miranda nesta versão colorizada:

E esta incrível versão para um violão tocado a quatro mãos pelo Duo Siqueira:

1917 foi ainda o ano em que pela primeira vez um samba foi lançado comercialmente: Pelo telefone, de Donga, gravado em 1916 por Bahiano e Coro, foi lançado em 20 de janeiro de 1917 pela Casa Edison do Rio de Janeiro, no selo Odeon:

Naquele mesmo ano nasceram alguns bebês que se tornariam grandes músicos de jazz, como Dizzy Gillespie, Nat King Cole, Buddy Rich e o violonista brasileiro Laurindo de Almeida; no universo do blues, nascia John Lee Hooker. E, no universo da música contemporânea, nascia nos estados Unidos o compositor Lou Harrison (1917-2003).

Harrison foi companheiro de primeira hora de John Cage (1912-1992) na vanguarda mais radical dos anos 30; mas transformou-se quando conheceu a música exótica dos gamelões, instrumentos originais das ilhas de Java e Bali. Passou, então, a compor música que incorporou estes instrumentos.

Podem ser gongos de diversos tamanhos, cada um entoando apenas uma nota musical. Assim, uma orquestra de gongos funciona como se fosse um único e monumental instrumento. Também são chamados de gamelões os xilofones e kendang (tambores). Ouça esta contemplativa peça “Gending Pak Chokro”, para grupo de gamelões:

no ano de 2016, o quinteto formado por Joaquim Abreu, Sérgio Coutinho, Danilo Valle, Thiago Lamattina, Rodolfo Arillo interpretou 3 peças de lou harrison no instituto cpfl de cultura, o “Primeiro Concerto para Flauta e Percussão”, a “suíte para percussão” e o “Concerto para Violino e Orquestra de percussão”. o resultado disso você ouve na íntegra abaixo:

Posts Relacionados