sobre crianças (9 vídeos)

  • íntegra | a criança na família brasileira e a discriminação racial e social, com ivone ferreira caetano

    Há um conceito histórico na criação dos filhos no Brasil apresentado de acordo com as classes sociais, especialmente dos excluídos, tendo em vista os segmentos étnicos e sociais, levando em consideração os grupos brancos, negros e indígenas. As transformações e sedimentações da personalidade na infância dependerão do ambiente familiar e social no qual as crianças transitarem. Neste contexto a criança torna-se invisível e, especificamente, a criança negra, a quem era imposta a cultura do silêncio, gerando fugas e suicídios, inclusive analfabetismo imposto por lei e recolhimento por instituições assistenciais para crianças negras abandonadas ou entregues para que as mães, em regra escravas, amamentassem as crianças brancas das famílias escravagistas. Em que pese a Constituição Federal e o Estatuto da Criança e do Adolescente, não foram elididos os resquícios da escravidão sendo certo que seus efeitos repercutem até hoje.
  • íntegra | crianças transtornadas? a infância e a medicalização, com rossano cabral lima

    a proliferação de novos diagnósticos na psiquiatria infantil e juvenil deve ser alvo de investigação crítica, a partir de suas origens nos séculos 19 e 20. é preciso evitar que categorias diagnósticas sejam tomadas como resultado natural do avanço do saber médico, lançando mão do conhecimento oriundo da área das ciências humanas e saúde para apontar os fatores científicos, sociais, ideológicos que sustentam esse fenômeno e avaliar seu impacto na clínica, nas políticas públicas, na escola e na família.
  • versão para tv | a criança em seu mundo, com mário sergio cortella

    mário sergio cortella fala sobre a importância da imaginação infantil, um mundo onde muitas vezes, os adultos não conseguem entrar. mas, segundo o educador, é preciso criar relações mais próximas com as crianças e saber quais são as suas necessidades e desejos para que possamos formar cidadãos conscientes e atuantes. no entanto, estamos sacando o futuro por antecipação, estamos gastando os meios que permitiriam a existência de próximas gerações. e ainda por cima anunciamos às crianças: "não haverá futuro, não haverá meio ambiente, não haverá segurança, não haverá trabalho".
  • íntegra | família contemporânea em cena: novos pais, novos filhos, com diana corso e mario corso

    Acabou a era da estabilidade no casamento. Casa-se com essa esperança, mas poucos estão dispostos a grandes sacrifícios para esse fim. A parentalidade e a intimidade doméstica precisaram ser reinventadas depois de retiradas dos clichês familiares nos quais repousavam. A força das famílias contemporâneas nasce de laços distantes da hierarquia e da tradição: na ficção, os pais são tidos como idiotas, mas são amados; as mães se distraem e ausentam, mas costumam ser consideradas inteligentes e atenciosas; os filhos são endemoniados, mas justos. Aos pequenos cabe construir-se através de muita fantasia, aprendendo a administrar conflitos domésticos, problemas conjugais dos pais, ausências. Desde as histórias tradicionais de crianças que se fizeram sozinhas, como as garotas de O Jardim secreto e Matilda, até o irreverente menino de Onde Vivem os Monstros, as crianças tiraram forças para seguir adiante a partir da capacidade de fantasiar e brincar. As grandes elaborações infantis ocorrem num território que percorre paisagens como o País das Maravilhas, a Terra do Nunca e o quarto de brinquedos de Toy Story. Entre esses recursos de criatividade e magia, o humor, que chegou até mesmo a transformar os clássicos contos de fadas, é a grande estrela, através da qual a autoridade parental é invocada e contestada ao mesmo tempo. Com Diana Lichtenstein Corso e Mário Corso. Palestra do módulo Reinvenção da família contemporânea: na tela e na vida real, de Diana Corso. Gravada no dia 27 de maio de 2011, em Campinas.
  • versão para tv | o filho fora do casamento, com tai castilho

    nas relações de um casal duas culturas se encontram. tai castilho comenta casos de relações onde há o filho fora do casamento e que ainda resistimos a reconhecer os laços que não são cosanguíneos. ela coloca, ainda, que relutamos em reconhecer as famílias chefiadas por mulheres. outro ponto abordado pela psicanalista é que as famílias de baixa renda no brasil, muitas vezes, não dão conta de seus filhos e os abandonam. para ela, essas crianças que estão em abrigos, febem ou mesmo nas ruas, são todas fora do casamento. de acordo com sua análise, a gravidez na adolescência é algo que precisa de atenção. nessas relações adolescentes são gerados muitos filhos fora do casamento. a palestrante questiona: quais são os filhos do casamento? qual casamento é esse?
  • íntegra | boas práticas pedagógicas no brasil hoje: o caso da escola maria peregrina, com mildren duque

    o encontro teve a participação da psicóloga mildren duque, idealizadora da escola maria peregrina, de são josé do rio preto (sp), uma instituição na qual os alunos têm a liberdade para escolher o que e como estudar. a experiência da escola inovadora no interior de paulista foi o tema do encontro “boas práticas pedagógicas no brasil hoje”. “nos projetos da escola maria peregrina, os projetos partem de três perguntas: o que queremos descobrir? por que queremos? o que já sabemos?”, relatou duque. segundo ela, mais do que o conteúdo, o importante, para os alunos, é saber utilizar as ferramentas para chegar ao conhecimento. “as crianças devem ser responsáveis pelas suas escolhas na escola.” experiências como esta mostram que ao aluno não basta aprender para obter conhecimento. é preciso aprender a aprender.
  • versão para tv | o filho e o casamento, com jurandir freire costa

    segundo o médico psicanalista jurandir freire costa, entre os seres humanos há o vínculo biológico que se manifesta através do apego. acrescenta que o segundo vínculo existente é o de parentesco que é dado pelo amor. esse vínculo se dá por meio das ideias e das imagens. no amor aos filhos nós queremos imortalizar nossos valores. jurandir explica que nas sociedades aristocráticas os filhos eram educados para a transmissão da honra e da reputação. dentro de sua análise, criou-se a ideia de que a criança é a coisa mais importante. como nos dias de hoje o casamento tornou-se solúvel, o valor afetivo ao filho passou a mudar. antes ele era o centro da família. agora o valor afetivo se relativizou. outra grande mudança, segundo o palestrante, está na crítica à hierarquização da família. para jurandir, as crianças estão perdendo o sentido de autoridade. hoje se vive de acordo com a moral do espetáculo e do entretenimento. a opinião e compreensão do mundo são mediadas pelos meios de comunicação. para ele, a moral do espetáculo é aquilo que a mídia elege como importante. isso faz com que os adultos percam confiança na própria experiência porque a realidade deles passa a ser a do espetáculo e com isso eles perdem a autoridade diante dos filhos.

sobre o cpfl play

aqui você encontrará toda a coleção de vídeos produzida em encontros do instituto cpfl desde 2003. são milhares de horas com os maiores pensadores brasileiros, artistas, convidados internacionais. todo o acesso é gratuito, e o acervo está organizado por temas, coleções, séries, palestrantes, para que você possa navegar pelo conhecimento contemporâneo da melhor maneira possível. bom proveito!