7 vídeos

medicalização fora de controle: vivemos uma epidemia de transtornos mentais?

com curadoria de mário eduardo costa pereira, psiquiatra e psicanalista.

as quatro palestras tratam de algumas das questões mais comuns nos dias de hoje: o que é um transtorno mental? estamos de fato vivendo uma epidemia? o que é ser normal? quem decide como devo me comportar? qual normalidade buscamos? quais as consequências do uso de medicamentos nesta busca?

os questionamentos acontecem no momento em que os medicamentos psicoativos e diagnósticos de transtornos de déficit de atenção e hiperatividade, sobretudo sobre crianças, são cada vez mais recorrentes. segundo costa pereira, a proliferação desses transtornos deveria servir como motivo de questionamento sobre a organização da sociedade atual e o papel de seus indivíduos. em vez disso, o que se vê é a busca desenfreada pela cura por meio de medicamentos, sem que as consequências dessas decisões sejam analisadas.

gravado em agosto de 2014.

serie (7): medicalização fora de controle: vivemos uma epidemia de transtornos mentais?

  • versão para tv | tdah: diagnóstico positivamente falso ou falsamente positivo?, com fernando ramos

    estamos realmente vivendo uma epidemia de transtornos mentais? nossa sociedade adoeceu? pelo enorme consumo de medicamentos psiquiátricos, parece que sim. erros de diagnósticos? ou da percepção do que, de fato, precise de tratamento medicamentoso? o psiquiatra fernando ramos nos ajuda nestas reflexões a partir da definição do conceito positivo da saúde, ou seja, como “um estado de completo bem-estar físico, mental e social e não somente ausência de uma doença ou enfermidade”.
  • versão para tv | crianças transtornadas? a infância e a medicalização, com rossano cabral lima

    o psiquiatra rossano cabral lima alerta para um sério problema da sociedade atual: o exagero nos diagnósticos de transtornos mentais e na prescrição de remédios, em especial para crianças. além de explicar e questionar os principais diagnósticos da atualidade, como o tdah e a síndrome de asperger, ele comenta sobre os contextos sociais e econômicos ligados a esse problema. como a criança é a principal envolvida nessa história, rossano não poderia deixar de refletir sobre o papel da escola diante dessa realidade.
  • íntegra | origens da medicalização da saúde, com naomar almeida filho

    o conceito de saúde não é trivial e constitui importante lacuna epistemológica no campo das ciências da saúde. retomar discussões filosóficas, teóricas, metodológicas e praxiológicas sobre saúde, doença e noções correlatas, como vida e qualidade de vida, sofrimento e morte, cuidado e cura. avaliar três momentos na história que marcam inflexões na construção da medicalização na cultura ocidental: iluminismo racionalista (cabanis — início do século 19); pragmatismo científico (flexner — início do século 20); massificação tecnológica (genômica — início do século 21.
  • íntegra | crianças transtornadas? a infância e a medicalização, com rossano cabral lima

    a proliferação de novos diagnósticos na psiquiatria infantil e juvenil deve ser alvo de investigação crítica, a partir de suas origens nos séculos 19 e 20. é preciso evitar que categorias diagnósticas sejam tomadas como resultado natural do avanço do saber médico, lançando mão do conhecimento oriundo da área das ciências humanas e saúde para apontar os fatores científicos, sociais, ideológicos que sustentam esse fenômeno e avaliar seu impacto na clínica, nas políticas públicas, na escola e na família.
  • íntegra | o que é transtorno mental?, com mário eduardo costa pereira

    a busca desenfreada por medicamentos contra transtornos mentais tem como pano de fundo a procura por uma normalidade pouco questionada. afinal, o que é ser normal hoje em dia? quem define a ordem a qual devemos nos adaptar? não seria essa busca cega pela adaptação à ordem justamente a razão, e não a solução, de tanto sofrimento? a quem interessa a normalização nos dias atuais?

sobre o cpfl play

aqui você encontrará toda a coleção de vídeos produzida em encontros do instituto cpfl desde 2003. são milhares de horas com os maiores pensadores brasileiros, artistas, convidados internacionais. todo o acesso é gratuito, e o acervo está organizado por temas, coleções, séries, palestrantes, para que você possa navegar pelo conhecimento contemporâneo da melhor maneira possível. bom proveito!