cafe filosófico

feminismos, corpo e saúde: uma agenda no século 21, com simone diniz (versão completa)

o corpo e a saúde estiveram na agenda de todas as gerações de feminismos, porém os das décadas de 60 e 70 enfatizaram a reivindicação política da autonomia sobre o corpo, com a contracepção e o aborto, e a crítica à medicalização da fisiologia feminina, incluindo a sexualidade, a menstruação, o parto e o envelhecimento. em tempos de internet, emergem insurreições pela democratização das informações e do poder de decisão, com narrativas subversivas disputando com a medicina as concepções de saúde e bem-estar.