Circuito

Mostra itinerante movida a energia solar levou a emoção do cinema para mais de 7 mil pessoas no Rio Grande do Sul

Van equipada com placas solares percorreu mais de 6 mil quilômetros; projeto conta com apoio do Instituto CPFL

Um total de 7.755 de pessoas passaram pelas “salas” de cinema itinerantes do Cinesolar em 20 cidades da Grande Porto Alegre e interior do Rio Grande do Sul. Ao todo, foram 40 sessões realizadas entre novembro e o começo de dezembro. O projeto é patrocinado pela CPFL Energia e conta com o apoio do Instituto CPFL, plataforma social do Grupo CPFL, do qual faz parte a RGE, exibiu 12 curtas da mostra de cinema infantil de Florianópolis e o longa metragem “Turma da Mônica – Laços”. Com as exibições usando energia limpa também foi economizado 60.000 watts, o que equivale a uma TV de Led de 32 polegadas ligadas por mil horas.

As sessões também têm o propósito de promover um trabalho de acesso e democratização do cinema e formação de plateia para este tipo de arte. Segundo pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) atualmente apenas 40% dos brasileiros vivem em locais sem cinema, ou seja, para 4 em cada 10 habitantes do país, este programa cultural não é uma possibilidade.

O projeto consiste em uma van equipada com placas solares que possibilitam, através de um sistema conversor de energia solar para a elétrica, a mostra de filmes e apresentações artísticas em espaços públicos, com entrada gratuita. Em 20 dias, foram percorridos 6.500 quilômetros de rodovias e realizadas também 14 oficinas solares que envolveram 358 jovens.

As exibições do Cinesolar fazem parte do Circuito CPFL, programa de abrangência nacional do Instituto CPFL que, em 2019, passa por mais de 100 cidades em sete estados do país, levando ao público sessões de cinema, projetos de incentivo à leitura, corridas, passeios ciclísticos e ações sociais. O projeto utiliza energia limpa e renovável para exibir os filmes, unindo arte, cinema e sustentabilidade.

Oficinema Solar e Exposolar

Para enriquecer ainda mais a experiência com o cinema, o projeto desenvolveu 15 oficinas onde os convidados puderam interagir com a van do Cinesolar. Na Oficinema Solar Expo Tecnologia, foi possível entender de forma lúdica como a luz do sol se transforma em energia elétrica. A parte de trás da van ficava aberta e contou com uma exposição de tecnologia e arte, onde os convidados vivenciam uma experiência tecnológica com duração de 10 minutos e intervalos de cinco minutos entre elas.

Já as Oficinema de Vídeo – voltada para jovens entre 11 e 17 anos, com duração de 2h30 – discutiram os problemas de sustentabilidade da região e introduzem aspectos básicos da linguagem audiovisual a partir da ideia da produção de “vídeo de bolso”. Esse formato “de bolso” utilizou ferramentas digitais, portáteis e fáceis de manusear para produção de vídeos diversos, aparelhos já comuns aos jovens. A gravação e a edição do filme foram feitas pela equipe do Cinesolar.

O projeto é realizado através da Lei Federal de Incentivo à Cultura, com o patrocínio da CPFL Energia em parceria com o Instituto CPFL e apoio da RGE. A realização é da Brazucah Produções, Ministério da Cidadania e Governo Federal. Nas cidades por onde passou, o projeto teve apoio das prefeituras, através da Secretaria Municipal de Educação.